NOTÍCIAS

03/08/2020

Lesões faciais no MMA e suas zonas de perigo

Por: Fernanda Brochado Martins da Costa Souto Maior

Lesões faciais no MMA e suas zonas de perigo

Por: Fernanda Brochado Martins da Costa Souto Maior

As Lacerações faciais são muito comuns entre os atletas dos esportes de combate, e consequentemente entre os atletas de MMA. Normalmente, os cortes podem ocorrer após impacto no rosto consequentes de socos, joelhadas, chutes e principalmente por cotoveladas.

Felizmente apesar do sangramento, a maioria dos cortes em face não apresentam grandes riscos para a saúde do atleta, porém existem alguns fatores devem ser levados em consideração pelo médico durante avaliação de um corte, que são eles:

  • O tipo de sangramento – Arterial ou venoso
  • A localização do corte – em áreas de nervos ou ducto lacrimal
  • O comprimento e a profundidade do corte – algumas lesões podem ser tão profundas, que expõe o osso da face.
  • O efeito que o corte tem sobre a visão do atleta – O corte pode ter um sangramento em grande quantidade, que pode atrapalhar a visão e consequentemente sua capacidade de se defender;

 

Sobre a localização do corte, existem áreas de risco na face, em que um corte pode apresentar risco para algum nervo ou artéria da face, o que pode representar um risco de sequela. Essas áreas de risco estão representadas na figura abaixo, em compreendem principalmente cortes na parte medial do supercílio, pois pode comprometer o nervo supraorbital e supratroclear, cortes na pálpebra superior e pálpebra inferior pelo risco de lesão do nervo infraorbital e saco lacrimal; e cortes no lábio pelo risco de lesão do músculo orbicular do lábio. Lesões nessas localizações, são critérios para o médico interromper a luta.

De maneira geral, para ocorrer uma boa cicatrização, uma laceração que necessitou de sutura, precisa de cerca 2 semanas para retirada dos pontos, e 4 a 6 semanas para o atleta retornar as atividades de sparing.